Heinrich Boll em «a honra perdida de katharina blum»

???????????????????????????????O interrogatório demorou tanto tempo porque Katharina exigiu, com extremo rigor, que lhe lessem em voz alta tudo o que ficava registado nos autos. Por exemplo, no último capítulo, quando ela referiu as impertinências dos cavalheiros, a versão original registada falava de ternuras, «os cavalheiros tornavam-se ternos». Katharina indignou-se e protestou energicamente contra isto e o facto deu lugar a controvérsias de definição entre ela e os agentes do ministério público, entre ela e Beizmenne, pois Katharina sustentava que ternura era uma acção recíproca, enquanto impertinências implicavam uma acção unilateral, e era esta que sempre estivera em causa. Como os cavalheiros achassem que isso era coisa de pouca importância e que era ela quem tinha a culpa de o interrogatório demorar mais do que o habitual, Katharina declarou que não assinaria nenhum auto em que em vez de impertinências figurasse ternuras. Para ela, a diferença tinha um significado crucial e era uma das razões por que ela se tinha divorciado do marido: é que ele nunca tinha sido terno com ela, mas sempre impertinente.

Anúncios

Sobre paulommorais

Escrevo romances, textos, fragmentos. Antes e depois da escrita, leio. Gasto muitas noites com filmes. Nos entretanto, divago sobre novas personagens com histórias por contar.
Esta entrada foi publicada em literatura-citada com as etiquetas , . ligação permanente.

comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s