Philip Roth em «némesis»

philip-roth2«- Porque é que aqui não há pássaros? – perguntou por fim.
– Haver há, mas os pássaros não cantam de noite.
– Ai não?
– Oh, Bucky – murmurou ela em tom de súplica, – já chega de perguntas. Despe-me por favor. Despe-me já.
Ao fim de tantas semanas de separação, tinha precisado que fosse ela a dizer-lhe aquilo. Precisava que aquela rapariga inteligente lhe dissesse tudo, mas mesmo tudo, acerca da vida fora do recinto de jogos, da pista de atletismo e do ginásio. Precisava que toda a família dela o ensinasse a viver uma vida de homem adulto em todos os aspectos, como ninguém, nem mesmo o avô, alguma vez tinha feito.»

Anúncios

Sobre paulommorais

Escrevo romances, textos, fragmentos. Antes e depois da escrita, leio. Gasto muitas noites com filmes. Nos entretanto, divago sobre novas personagens com histórias por contar.
Esta entrada foi publicada em literatura-citada com as etiquetas , . ligação permanente.

comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s