Stendhal em «o vermelho e o preto»

stendhal2«Ao aproximar-se da fábrica, o pai Sorel chamou Julião com a sua voz forte; ninguém respondeu. Viu apenas os filhos mais velhos, espécie de gigantes que, munidos de pesados machados, esquadriavam os troncos de pinheiro que iam levar à serra. Seguiam com exactidão os traços negros marcados nas peças de madeira e cada golpe dos seus machados cortava pedaços enormes. Não ouviram a voz do pai, que se dirigiu para o barracão. Ao entrar, procurou Julião no lugar que lhe competia, ao lado da serra. Não estava. Descobriu-o um pouco mais acima, a cavalo sobre uma das vigas. Em lugar de vigiar atentamente o trabalho do mecanismo, Julião lia. Para o velho Sorel, nada era mais desagradável; talvez tivesse perdoado àquele filho a sua fraca estatura, pouco própria para os trabalhos de força e tão diferente da dos mais velhos; mas aquela mania da leitura era-lhe odiosa: ele próprio não sabia ler.»

Anúncios

Sobre paulommorais

Escrevo romances, textos, fragmentos. Antes e depois da escrita, leio. Gasto muitas noites com filmes. Nos entretanto, divago sobre novas personagens com histórias por contar.
Esta entrada foi publicada em literatura-citada com as etiquetas , . ligação permanente.

comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s