Don DeLillo em «libra»

don-delillo2«Encontrava-se com Alek muitas vezes. juntos pareciam brilhar em qualquer meio. Conquistavam tudo. Um determinado banco no parque junto aos jogadores de xadrez, coisas simples, comuns, em nada fora do comum. Apaixonaram-se como toda a gente se apaixona. De mundos diferentes, culturas totalmente diferentes, mas de destino comum, segundo o que Marina acreditava. O coração dela começou a bater de modo diferente.
Lisonjeavam-se um ao outro, cada um fazia o outro sentir-se único e maravilhoso. É a mentira que toda a gente aos dezanove aceita e em que quer desesperadamente acreditar.»

Anúncios

Sobre paulommorais

Escrevo romances, textos, fragmentos. Antes e depois da escrita, leio. Gasto muitas noites com filmes. Nos entretanto, divago sobre novas personagens com histórias por contar.
Esta entrada foi publicada em literatura-citada com as etiquetas , . ligação permanente.

comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s