The Fault in our Stars (filme)

Nunca leio as sinopses nem espreito os trailers dos filmes que quero ver. [Acreditem, tenho um método de saber/decidir o que tenciono ver]. Por causa de umas leituras sobre o John Green, autor do romance, sabia assim por alto que The Fault in our Stars tinha a ver com cancro, mas por esta e aquela razão o filme não ficou na lista das minhas primeiras escolhas. Afinal, vi-o. E posso afirmar que ainda bem, muito por rever-me numa citação atribuída ao escritor brasileiro Ariano Suassuna:

O otimista é um tolo. O pessimista, um chato. Bom mesmo é ser um realista esperançoso.

the-fault-in-our-stars1

– Gus, I’m a grenade. One day I’m going to explode and I’m gonna obliterate everything in my wake and… I don’t know, I feel it’s my responsability to minimize the casualties.

Anúncios

Sobre paulommorais

Escrevo romances, textos, fragmentos. Antes e depois da escrita, leio. Gasto muitas noites com filmes. Nos entretanto, divago sobre novas personagens com histórias por contar.
Esta entrada foi publicada em cinema-falado com as etiquetas , , . ligação permanente.

comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s